Planta milagrosa que ‘desliga a fome’ e seca a barriga



PUBLICIDADE


Já pensou em um ingrediente que faz diminuir a fome e não causa efeitos colaterais?

Na luta pelo emagrecimento, reduzir o apetite é muito importante.

E, segundo novos estudos, essa realidade está bem perto de ser alcançada, pois os cientistas encontraram um composto que pode inibir a fome.

É provável que você não saiba, mas a obesidade é considerada uma epidemia no Brasil, pois temos 18 milhões de obesos. E se formos considerar todas as pessoas que estão acima do peso, esse número sobe para 70 milhões.



PUBLICIDADE


As causas da obesidade são muitas: má alimentação, metabolismo lento, fatores genéticos, sociais e psicológicos.


PUBLICIDADE

Portanto, se houvesse algum remédio simples e baratinho que pudesse reduzir o apetite a longo prazo e com segurança, seria um verdadeiro milagre na vida de muita gente.

Pois pesquisadores alemães da Helmholtz Zentrum München acreditam que encontraram o tão almejado ‘emagrecedor’.

Segundo os autores do estudo, os especialistas em emagrecimento costumam pedir às pessoas obesas para perderem de 5% a 10% do seu peso corporal a cada ano, um objetivo que raramente é atingido. Só quem sofre de distúrbios alimentares sabe como é difícil.

Pois o composto-chave, para que o medicamento venha a se tornar uma realidade, é originário de uma planta medicinal chinesa.

O composto foi batizado de celastrol e é produzido a partir de extratos da planta chamada popularmente como “trovão de deus videira” (Tripterygium wilfordii), que é natural do sul da China.

Ao longo dos anos, a planta tem vindo a ser testada como um tratamento potencial para a artrite reumatoide e alguns tipos de câncer.

No entanto, foi somente em 2015 que os pesquisadores examinaram pela primeira vez o potencial da planta no combate à obesidade.

Os pesquisadores constataram que, em ratos obesos, compostos extraídos da planta ativavam os centros de saciedade localizados no cérebro e “desligavam” a fome.

A revista Diabetes publicou recentemente um estudo sobre o celastrol e o seu impacto na obesidade.

Segundo a informação publicada, o celastrol reativa mecanismos do próprio corpo para controlar o peso. Nas pessoas obesas, esses mecanismos estão desligados.

Segundo os cientistas, a lepitina, um hormônio liberado pelo tecido adiposo, é que desencadeia a sensação de saciedade. Quando o hormônio é ativado e se une aos receptores, o corpo recebe a mensagem de que está “cheio”.

No entanto, algumas pessoas se tornam resistentes ao hormônio, o que provoca excessos alimentares e obesidade.

Pois o estudo indicou que o celastrol restaura a sensibilidade ao hormônio, e consequentemente, a sensação de saciedade.

De acordo com os pesquisadores, os experimentos feitos nos ratos obesos demonstraram que a administração da substância teve como resultado um menor consumo de alimentos, fazendo com que as cobaias perdessem 10% do peso corporal em uma semana.

Os cientistas acreditam que os resultados devem se repetir em humanos, já que são muito semelhantes em ambas as espécies (ratos e humanos) o sistema de leptina.

Nos Estados Unidos, segundo a revista Veja, já estão sendo conduzidos testes em humanos. Mesmo que o remédio venha a estar disponível a médio prazo para consumo humano, um medicamento capaz de controlar a fome não substitui mudanças no estilo de vida, como uma alimentação balanceada e atividade física regular, atitudes que devem continuar sendo realizadas, pois fazem parte de qualquer tratamento para perder peso.


Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*