Cachorro quente de forno

Cachorro quente

Cachorro quente de Forno é uma ótima sugestão pra você preparar no lanche da tarde ou até mesmo na sua refeição, eu tenho certeza que todos os seus amigos e familiares vão aprovar essa receita. Nessa matéria você vai encontrar um passo a passo simplificado, não esqueça de enviar a sua opinião de como ficou através dos comentários na página, nós ficamos felizes com a sua visita em nosso site. Confira a receita:

Cachorro quente de forno – Ingredientes:

Massa:
-2 xícaras (chá) de farinha de trigo
-2 xícaras (chá) de leite
-3 ovos
-2 colheres de fermento em pó
-1 pacotinho de queijo ralado parmesão (100 gr).

Recheio:
-10 salsichas cozidas e picadas em rodelas ou cubinhos de 1cm
-1 lata de ervilha
-Uma lata de milho
-1 cebola picada de tamanho média
-Um tomate picado sem sementes (médio)
-1 pimentão picado
-azeitonas a gosto
-1/2 lata ou sache de molho pronto de tomate
-cheiro verde à gosto
-batata palha.

Cachorro quente de forno – Veja como preparar:

Em uma panela, coloque todos os ingredientes do recheio e deixe cozinhar por alguns minutos (em torno de 5 minutos) em fogo médio.

Pegue uma forma de assar e untar bem. Coloque metade da massa na forma. Depois coloque o recheio e cubra com o restante da massa. Para finalizar, polvilhar com o restante do queijo ralado.

Para assar, levar ao forno médio de ( (180° C), já preaquecido, por 30 minutos aproximadamente. Coloque a batata palha por cima.

INFORMAÇÕES ADICIONAIS:

Qual a diferença entre os fermentos biológico e químico?…Os fungos do fermento vivo se alimentam da glicose da farinha de trigo: sua digestão produz, entre outras substâncias, as bolhas de gás carbônico (ou dióxido de carbono) que fazem a massa crescer.

O fermento biológico é composto por fungos microscópicos vivos, enquanto o químico (ou em pó) é feito à base de bicarbonato de potássio.

A forma como eles agem é bastante distinta. Os fungos do fermento vivo se alimentam da glicose da farinha de trigo: sua digestão produz, entre outras substâncias, as bolhas de gás carbônico (ou dióxido de carbono) que fazem a massa crescer.

Já no fermento químico, o mesmo gás é obtido em reações do bicarbonato de sódio com algum ácido. Na fabricação do fermento em pó, o bicarbonato é misturado a substâncias que se tornam ácidas ao entrar em contato com líquidos ou quando são aquecidas.

O pó já começa a reagir na hora de bater o bolo e, na maioria das vezes, continua a fazê-lo enquanto o bolo está no forno.

Já os fungos do fermento biológico demoram um pouco a fazer seu trabalho e morrem no calor do forno. Assim, em receitas com fermentação biológica, como pães e pizzas, é necessário esperar a massa crescer antes de começar a assá-la.

Gostou da receita? Deixe seu comentário e compartilhe. Obrigado!


Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*